Reinauguração do Velódromo Olímpico

Reinauguração do Velódromo Olímpico

O “Desafio Verão ”, primeira etapa do Circuito Rio Mineirinho em 2019 (09 e 10/02) organizado pela Federação de Jiu-Jitsu Desportivo do Rio de Janeiro, marcou a reabertura do Velódromo e reuniu cerca de setecentos lutadores em batalhas por pontos no ranking e vagas em competições internacionais como o Word Pro, em Abu Dhabi (EAU).  Ao mesmo tempo em que a competição de Jiu-Jitsu se desenvolvia, ciclistas treinavam na pista, promovendo uma atração a mais para os expectadores que compareceram em ótimo número para prestigiar o evento no Parque Olímpico da Barra.

A reforma na cobertura consolidou definitivamente a recuperação do telhado, que sofreu grandes estragos provenientes de dois incêndios em 2017 e do temporal no fim de novembro de 2018. Os reparos tiveram custo de R$ 1,7 milhão e a cobertura ainda será submetida a uma proteção contra incêndios, que será implantada pela Prefeitura do Rio.

Paulo Márcio Dias Mello, presidente da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO), autarquia federal que administra as arenas olímpicas, enalteceu a superação e o trabalho em equipe que, segundo ele, foram fundamentais para o restabelecimento das atividades do Velódromo, e a versatilidade das arenas.

“Estamos muito felizes em entregar novamente o Velódromo à população, após tantos problemas ocorridos desde 2017 com a queda do primeiro balão. O Velódromo não se presta apenas para o ciclismo e sim para diversas modalidades e eventos, como o Jiu-Jitsu, que temos um carinho muito grande e já criamos diversas parcerias”.

O secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marco Aurélio Vieira, também esteve presente e falou sobre a importância do Velódromo para o país e reiterou a participação da população na utilização do legado olímpico.

“O Velódromo do Rio de Janeiro é um dos legados mais importantes das olimpíadas Rio 2016, e a nossa intenção é que esses eventos sejam cada vez mais participativos pela população, que consigamos trazer não só inclusão social como treinamento e competições de alto nível e emprego aos Profissionais de Educação Física”.

A tragédia ocorrida no centro de treinamento do Flamengo, na última sexta (08/02), com a morte de 10 adolescentes da base, após o incêndio nos alojamentos, também foi lembrada e os atletas homenageados antes da abertura oficial do Circuito, através de um minuto de silêncio em respeito às vítimas.

Reportagem: Marcello Barbosa

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário:

X
X