A Copa Intercontinental da FIBA e os valores agregados

A Copa Intercontinental da FIBA e os valores agregados

O Parque Olímpico da Barra (POB) foi novamente centro das atenções do esporte internacional neste fim de semana, com a realização da Copa Intercontinental de Basquete, maior torneio de clubes organizado pela FIBA.

No palco dos Jogos Olímpicos de 2016, a 27ª edição da competição inovou no formato, ao apostar num quadrangular convidando o atual campeão da Liga de Desenvolvimento da NBA, Austin Spurs, ligado ao San Antônio Spurs, e o Flamengo, anfitrião e último time brasileiro campeão mundial, em 2014, para compor a Copa com o AEK Athens (campeão da Liga dos campeões 2018) e o San Lourenzo (campeão da Liga das Américas 2018), ao contrário das edições anteriores quando o campeão europeu da FIBA enfrentava diretamente o campeão das américas.

As quatro equipes se enfrentaram pelas semifinais na sexta (15/02) e no domingo (17/02) e os vencedores, AEK e Flamengo, realizaram a grande final com ótimo público presente, com vitória do time grego por 86 a 70.

O secretário geral da FIBA, Andreas Zagklis, elogiou as instalações. “Estamos empolgados em trazer a Copa Intercontinental de volta às Américas e celebrar esta edição na excelente quadra olímpica de basquete do Rio de Janeiro, que foi a sede de tantos grandes momentos durante os Jogos de 2016”, ressaltou Zagklis.

Além do magnífico cenário esportivo e dos jogos de altíssimo nível, o público presente foi uma atração à parte. Empolgada e vestida com as cores do Brasil e do Flamengo, único representante brasileiro, a torcida cantou e vibrou durante todo o tempo, e teve o reforço de dezenas de crianças vindas de diversos projetos sociais do Rio e da Baixada Fluminense, o que a AGLO (Autoridade de Governança do Legado Olímpico), administradora das arenas,  entende como um dos caminhos importantes para resgatar os valores do olimpismo entre as crianças e jovens que vivem em comunidades.

“A gente sempre busca agregar uma ação social nos eventos realizados em nossas estruturas olímpicas. E ver a satisfação dessas crianças carentes só demonstra que estamos no caminho certo. É de uma experiência como essa que despertamos nelas, o desejo de se interessar pelo esporte e, com isso, exclui-las da violência que assola nosso país. Se não descobrirmos futuros atletas, ao menos teremos formado cidadãos de bem”, enfatizou o Presidente da AGLO, Paulo Marcio Dias Mello.

A FIBA ainda promoveu, no sábado (16/02), na Arena Carioca 1, uma clínica de basquete com o técnico Alberto Bial, do Clube de Regatas Vasco da Gama, gratuitamente, para os profissionais e estudantes de Educação Física, aproveitando o evento para contribuir tecnicamente para a formação desses jovens e difundir aspectos importantes do alto rendimento.

O estudante do 6º período de Educação Física, Lázaro Pereira, do GEEF (Grupo de Estudantes de Educação Física), se emocionou com a oportunidade de pisar na arena olímpica e aprender com um profissional de renome no esporte.

“Foi incrível participar da palestra dentro da quadra dos Jogos Olímpicos do Brasil! Foi engrandecedor, somou muito para o meu currículo e vou levar essa experiência para sempre. ”

Texto: Marcello Barbosa

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário:

X
X